Cada vinho uma taça

Não é a toa que existe uma ciência para estudar a bebida, a enologia, pois, são inúmeros os aspectos relativos ao vinho. As principais faculdades de enologia estão localizadas na França e normalmente os graduados no curso, enólogos, irão trabalhar nas vinículas.

 

O sommelier, profundo conhecedor do vinho, pode ser chamado em restaurantes para indicar a bebida aos clientes, mostrar os rótulos e ajudar na escolha do melhor tipo de vinho para acompanhar o prato que será pedido.

 

O amante e bom conhecedor de vinhos, entre tantos conhecimentos acerca da bebida, pode ficar um pouco confuso na hora de escolher a taça correta para apreciar a bebida durante um jantar ou para servir os convidados.

 

 

A revista Casa e Jardim numerou cada formato de taça e sugeriu os tipos da bebida mais indicados para elas. Confira abaixo:

1 – Tintos encorpados pedem modelos grande.

2 - Taças estreitas e altas são ideais para espumantes.

3 - Brancos encorpados precisam de modelos de tamanho médio.

4 - Este é um dos copos mais comuns, perfeito para tintos leves;

5 - Taças menores são indicadas para bebidas licorosas, como o xerez e o vinho do Porto.

6 - Uma taça intermediária, ideal para o rosé.

 

Na imagem acima, você encontra uma taça de vinho a mais. Percebeu que o champagne entra na lista de taças para vinho?

 

Curiosidade:

 

Champagne ou espumante como deve ser chamado no Brasil e em qualquer outra parte do mundo, execto os Champagnes produzidos na região que leva o mesmo nome na França, é uma outra opção para quem busca fazer um evento diferenciado. Consiste em uma bebida oriunda da  fermentação da uva que antigamente era servida nas ocasiões mais refinadas.

 

 

Região de Champagne na França

 

A sua descoberta é atribuída ao monge Dom Pérignon (1668-1715), cujo nome é hoje uma marca desse tipo de vinho. Ele era o responsável pelas adegas da Abadia de Hautvilleres, naquela região francesa e ficou curioso com a afirmação dos vinicultores de que certos tipos de vinhos fermentavam novamente depois de engarrafados. Acontece que, nesse processo, os gases estouravam as rolhas ou arrebentavam as garrafas. Dom Pérignon então experimentou garrafas mais fortes e rolhas amarradas com arame, conseguindo obter a segunda fermentação dentro do recipiente, e assim surgiu um vinho espumante e delicioso que depois seria batizado de Champagne. Saiba mais no blog Pirâmides.

 

 

Agora que você já conhece os tipos de taças, visite a loja Cassol Centerlar para conhecer as peças expostas para esta temporada e completar a sua coleção de taças.

 

Saúde!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...