O descarte correto para pilhas, lâmpadas e eletroeletrônicos

Existem tipos específicos de materiais que não podem ser descartados em locais comuns, como as lixeiras das casas. É preciso dar o destino correto a eles para que não ponham em risco a saúde das pessoas e o ambiente. Saiba como proceder corretamente.

 

Pilhas e baterias: A lei ambiental permite que pilhas comuns sejam jogadas no lixo. Pela legislação é obrigação das empresas de celular e pilhas recolhê-las. Pilhas e baterias nocivas têm um símbolo especial na embalagem. Essas nunca podem ir para o lixo e devem ser devolvidas no local de compra do produto que as utiliza. Mas o ideal é reciclar todo o tipo de pilha. Junte-as em casa e depois deposite-as em postos de coleta – que existem em várias lojas. Saiba mais em Planeta Sustentável.

 

 

 

Lâmpadas: As lâmpadas incandescentes queimadas convencionais, que são produzidas com vidros e metais, podem ser jogadas fora juntamente com o demais lixos domésticos por não conterem nenhuma substância nociva em sua composição e pelo seu material que não deve ir à reciclagem. Atenção para as lâmpadas fluorescentes, estas contêm substâncias nocivas a saúde, como o mercúrio (gás altamente tóxico), e contaminam o solo e as águas. Devem ser levadas, preferencialmente na própria caixa onde vieram, até os locais de recolhimento de materiais recicláveis. Tomar sempre cuidado para não quebrá-la. Caso não tenha mais a caixa original da lâmpada envolva-a em caixa de papelão ou outro material seguro.

 

Eletroeletrônicos: Passar para frente um aparelho usado quando se compra outro novo é a melhor solução. Doar para entidades que necessitam de equipamentos ou ongs. Caso o aparelho tenha estragado, sem chances de conserto, o ideal é entregá-los ao fabricante para levarem à reciclagem. Isto já está se tornando comum especialmente nas empresas de tecnologia. Além das fabricantes, muitas operadoras recolhem os aparelhos.

 

Além dos lixos especiais, existem outros tipos de materiais que não podem ser reciclados, portanto, presente atenção para descartar corretamente na coleta de lixo seletivo. Confira as tabelas de reciclagem da Natural Limp.

 

 

Agora você já sabe que nem todos os lixos podem ir no lixo comum e nem todos os materiais são recicláveis já pode, além de fazer a sua parte, orientar outras pessoas da família e amigos como dar o destino correto aos lixos.

 

Sugestão final: O artista plástico brasileiro Vik Muniz, radicado em Nova Iorque, realizou um documentário chamado Lixo Extraordinário em que mostra a história de vida dos catadores de lixo reciclável e a obra de arte feita a partir deles. O documentário, que emociona e conscientiza, mostra a quantidade de lixo que é despejada diriamente em um dos maiores aterros sanitários do mundo: o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro.

 

 

Foto: Exposição do artista plástico Vik Muniz, montada ao lado do Museu da República, na Esplanada dos Ministérios, mostra painéis com sete cenas do filme Lixo Extraordinário, indicado na categoria de melhor documentário ao Oscar de 2011 l Foto de Valter Campanat.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...